Jovens empreendedores em um escritório de empresa no modelo startup

O que são startups? Conheça essa prática inovadora no mercado

FAPCE.

Certamente, você já ouviu falar no termo startup e utiliza dos serviços de inúmeras delas diariamente. Entretanto, você sabe, de fato, o que elas são, como funcionam e qual a sua importância para o mercado?

Esse modelo de negócio vem trazendo inovação no mercado e revolucionando o modo como a relação entre funcionário, empresa e público acontece. Tudo isso enquanto as necessidades dos consumidores são supridas de formas diferentes.

Quer entender mais sobre esse tipo de empresa e suas principais características? Então, continue acompanhando este post a seguir e confira!

Veja o que é uma startup

Toda startup é uma empresa jovem, não apenas porque foi fundada recentemente por jovens empreendedores. Uma startup está constantemente desenvolvendo suas práticas e ideias para sobreviver em um cenário muito competitivo e incerto. O termo foi usado em todo o mundo durante a Bolha da Internet — uma crise especulativa que atingiu as primeiras grandes empresas online no período entre 1995 e 2001. 

Muitas organizações do tipo foram fundadas e funcionam exclusivamente na Internet — bons exemplos de startups são a Uber, iFood, Netflix etc. —, mas não se enganem: nem todas são empresas online. Apesar de a raiz da palavra ser o verbo "start", que significa "começar" em inglês, não significa que determinada empresa deixará de ser uma startup depois de alguns anos no mercado, embora isso acabe acontecendo e seja o objetivo do empreendedor.

Todas essas empresas têm algo em comum: inovação. Cada uma pensa e desenvolve seu próprio modelo de negócios para atender às necessidades dos clientes de maneira inovadora e, portanto, possui um grande potencial de crescimento. 

Conheça suas principais características

Agora que você já entendeu o significado do termo startup, chegou a hora de compreender o que caracteriza esse modelo de negócio. Veja a seguir.

Modelo inovador

A inovação é o requisito básico para uma empresa ser chamada de startup. Fornecer produtos, serviços ou até experiências que atendam criativamente às necessidades dos clientes é o que uma startup faz - suas práticas podem até criar novos nichos de mercado. 

Devido ao ambiente muito conectado em que vivemos, muitas startups optam por usar a tecnologia para trazer inovações aos seus processos de negócios. No entanto, isso não é absolutamente necessário e existem startups cuja inovação não dependem dela.

Repetível e escalável

Uma startup precisa apresentar uma empresa, produto ou serviço que seja repetível e escalável para alcançar estabilidade e crescer mais rapidamente. Isso significa que o produto ou serviço deve ser o mesmo ou semelhante para todos os consumidores. Se o modelo de negócios é repetitivo e escalável, os custos de manutenção são baixos e, à medida que a empresa cresce, os custos operacionais não aumentam significativamente.

Alta flexibilidade

A parte "repetível e escalável" garante estabilidade, mas deve haver espaço para flexibilidade ao iniciar. Não basta ser criativo ao começar a empresa, mas também é necessário usar essa criatividade e estar disposto a aceitar mudanças todos os dias ao administrar o negócio. 

A flexibilidade inclui, entre outras coisas, alterar processos internos, reagir rapidamente aos desafios de marketing, adaptar o trabalho e o serviço aos requisitos do mercado e experimentar novas maneiras de satisfazer e reter clientes. 

Um exemplo de flexibilidade usada no momento certo é o PayPal, que deveria servir como carteira digital para smartphones, mas decidiu mudar o foco das operações e passou a ser usada para transferir dinheiro em negociações.

Conheça a Faculdade Paraíso do Ceará

Entenda a relação startups e empreendedorismo

Criar uma startup é um grande desafio. Portanto, nem todo mundo está pronto para se envolver, pois é necessário muito espírito empreendedor. Durante uma rápida pesquisa na Internet, alguns termos insistiram em aparecer nas definições de empreendedorismo:

  • autonomia: essa é uma das principais razões pelas quais as pessoas largam o emprego e se tornam empreendedores. É a capacidade de assumir responsabilidade por suas decisões e independência na definição de seu sucesso;
  • dedicação: iniciar qualquer tipo de empreendimento significa ter que se dedicar 90% do tempo ao seu desenvolvimento;
  • coragem para se arriscar: muitas pessoas bem-sucedidas atribuem seu aprendizado e desenvolvimento à capacidade de correr riscos, aprender com os erros e perseverar a cada oportunidade.

Em suma, para desenvolver uma startup é necessário saber empreender e estar disposto a se dedicar inteiramente ao negócio.

Saiba porque esse modelo de negócio é importante

Mais e mais inovações estão mudando a vida de milhares de pessoas para sempre. Eles substituem os processos engessados e revolucionam o mundo como o conhecemos hoje. Essas mudanças já estão ocorrendo e fazem parte da nova economia — o surgimento novos modelos de negócios disruptivos que tornam empresas e profissões redundantes mais rapidamente.

Nesse sentido, podemos afirmar que a nova economia corresponde aos negócios disruptivos ou os negócios disruptivos correspondem à nova economia. De todo modo, fica claro que é necessário uma atitude diferente da atual, porque precisamos ser mais rápidos, mais competitivos, mais conectados e atualizados.

E as startups são peças fundamentais desse novo modo de agir e pensar. São empresas com visão de futuro, cujo objetivo principal é a inovação e transformação de processos.

Isso é tudo o que você precisa saber sobre as startups. Então, se você está prestes a entrar para a faculdade, escolha uma instituição que incentiva seus alunos a empreender e conquistar seu espaço nesse novo mercado, como a FAP (Faculdade Paraíso do Ceará)

A faculdade, conta com um centro de inovação chamado Garagem LAB, que estimula os estudantes a criarem seus próprios projetos, os estimulando a se reinventarem frente a evolução das profissões. Assim, eles se tornam capazes de atuar como um empreendedores dentro das empresas — empreendedor interno — ou fora delas, abrindo seu próprio negócio.

Nesse espaço, os graduandos podem aproveitar os Laboratórios de informática e Fabricação Digital para criar projetos voltados para a robótica, engenharia civil, engenharia de produção, arquitetura e urbanismo.

Também vale destacar o Núcleo Empreendedor, que visa direcionar os alunos para a prática da profissão e integra as empresas juniores NexTI, Emau, Plataforma e FIX.

Gostou deste conteúdo? Então, venha conhecer a Faculdade Paraíso do Ceará, e inicie já a sua formação!

Conheça a Faculdade Paraíso do Ceará

Mais Posts